terça-feira, 29 de agosto de 2017

FLIM 2017: Emoções à solta

Foi um fim de semana de muitas emoções. Nos olhos brilhantes da criança, aninhada no colo da mulher que inventou as histórias que a encantaram. Nas lágrimas do idoso que relembrou a infância ao ouvir palestra da antropóloga sobre o cotidiano nas antigas fazendas de café. Na satisfação dos que voltaram para rever os amigos feitos no ano anterior. E até nos gritos de medo da menina, surpreendida com o grupo de "fantasmas" e "mortos-vivos" que, já no finzinho da festa, invadiram a praça para assustar crianças e adultos que, distraídos, contavam e ouviam histórias de terror.

Os sorrisos da escritora homenageada, Ana Maria Machado, e de sua pequena fã resumem o clima da FLIM 2017


A literatura se espalhou pela cidade. Qualquer lugar era bom para ler, ouvir e falar sobre livros...







Em festa que se preza, música é fundamental.






As artes visuais apareceram sob muitas formas e expressões...







.. incluindo as "artes" da criançada das escolas madalenenses...








Também teve espaço para o teatro...



...para a contação de histórias...



para conhecer a comida típica das antigas fazendas de café...


e até para um joguinho de xadrez!


Foram muitos os cenários para celebrar a cultura: o auditório da Câmara Municipal,




a sombra proporcionada pelas tendas...




e o gramado das praças.





No palco ou na plateia...

















famosos e anônimos,





pessoas de todas as idades e diferentes origens,




fizeram trabalho voluntário...






brincaram...






e aprenderam juntos.



Assim é a FLIM. Porque, no fim das contas,




Créditos: A maior parte das fotos desta reportagem é de Lucas Abreu, do grupo de Jovens Voluntários da FLIM. Também colaboraram: Guina Ramos, Nestor Lopes, Romildo Guerrante e Simone Giron.







Nenhum comentário:

Postar um comentário